Uma mãe morre a cada 4 minutos no mundo. No Brasil a taxa de mortalidade materna ainda é baixa, mas não é o ideal. Qual a causa das mortes de mães e gestantes? O ginecologista Márcio Sakita abre o debate e explica que é possível baixar as estatísticas.

O assunto ainda é pouco abordado, mas a mortalidade materna vem se tornando grande preocupação. Gestação é sinônimo de vida, de alegria, e nesse momento tão especial é esperado sempre o melhor. Infelizmente não é sempre o que acontece. A mortalidade materna não se refere apenas a gestantes, a taxa contabiliza desde o início da gestação até 42 dias após o parto, e ainda, sendo considerada uma morte tardia, até um ano após o parto.

O ginecologista Márcio Sakita explica as principais causas de morte no Brasil e no mundo e como prevenir a perda das mães. Somo capazes de atingir uma taxa menor de mortalidade? Com os cuidados adequados é possível proteger as mães das causas evitáveis e baixar a taxa de mortalidade. Nosso país se destaca pelo grande número de partos cesáreos, quando se sabe que o parto natural é mais seguro. Marcio fala sobre os momentos de risco na hora do parto, e como é importante prestar atenção em cada um deles para diminuir as taxas de mortalidade.

Americas Serviços Médicos

Ver todos os posts

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *